Fotos de Santa Terezinha - MT

Estima-se que os primeiros moradores do “Furo de Pedra”, povoado que deu origem ao município de Santa Terezinha, tenham chegado à região no ano de 1910. Ali, construíram suas casas às margens do rio Araguaia, plantavam suas lavouras e cuidavam de pequenas criações de animais.

Com as frequentes inundações no período das cheias, os posseiros acabavam ficando isolados dos seus vizinhos, impossibilitados de criar e cuidar do gado e de plantar as roças de onde tiravam o seu sustento. A solução encontrada pelos moradores do “Furo de Pedra” foi mudar, em definitivo, para um lugar mais seguro.

O local escolhido foi o “Morro de Areia” – um ponto estratégico, pois além de um pouco mais distante das margens do rio, também era bem próximo da primeira igreja, da primeira escola do município e do abrigo missionário conhecido, hoje, como “Casa do Morro”.

Vale ressaltar que estas importantes edificações foram criadas pelos missionários dominicanos e pela jurisdição eclesiástica de Conceição do Araguaia (PA),  a qual Santa Terezinha pertencia naquela época. Tempos depois, esta jurisdição passou para a Prelazia de São Félix do Araguaia. E continua até os dias atuais.

Graças à mudança do “Furo de Pedra”, Santa Terezinha foi crescendo até a formação do município que conhecemos hoje.  E vale destacar que dois dos seus primeiros povoados foram: Lago Grande (1922) e Crisóstomo (1932).

Na década de 1970, Santa Terezinha ainda pertencia ao munícipio de Luciara, que foi emancipado em 11 de novembro de 1961. Entretanto, como naquela época ainda não haviam estradas que conectassem as duas localidades, o percurso para chegar a “Mato Verde”, como Luciara era então conhecida, era feito primordialmente pelo rio.

Neste período, estima-se que a população de Santa Terezinha era de pouco mais de 120 pessoas, sendo que a pequena comunidade era composta primordialmente por: posseiros (pequenos produtores), comerciantes, criadores de gado e empregados das fazendas.

O  nome Santa Terezinha, por sua vez, foi sugestão dos padres franceses que faziam missões nesta região naquela época e nas aldeias indígenas: Karajá e Tapirapé. Santa Teresinha do Menino Jesus é a “Padroeira dos Missionários” e também foi acolhida pela comunidade como a padroeira do nosso munícipio – data celebrada, todo ano, em 1º de outubro.

A Luta Pela Terra

Em 1967, os moradores do povoado de Santa Terezinha foram acusados, pela Companhia de Desenvolvimento do Araguaia, de invasão às suas terras. O atrito culminou num conflito de quase sete anos pela posse da área.  Isso porque a “sede”, onde os posseiros moravam, era um ponto estratégico, uma vez que dava acesso ao rio e, ao porto de embarcações – um dos únicos meio de transporte na época.

Como não houve acordo, o conflito pela posse da terra durou de 1967 a 1972, e neste período foram registrados o uso de força armada e até mesmo demolição de casas. Relatos históricos mostram, inclusive, que um grupo de posseiros chegou a ficar mais de 100 dias escondido na mata para não ser preso.

Mesmo com forte repressão, os pioneiros registiram e fixaram moradia ali e deram origem ao munícipio de Santa Terezinha. Com o apoio da Prelazia de São Félix do Araguaia, da Prefeitura de Luciara, e de figuras importantes como o padre Francisco Jentel e o bispo Pedro Casaldáliga, os moradores conseguiram vencer a pressão da fazenda e obter a posse legítima do lugar.

Assim, em 29 de junho, de 1976, Santa Terezinha tornou-se distrito de Luciara. E, em 4 de março, de 1980, foi oficialmente emancipada.

Fonte – Livro: Conflito no Araguaia de Neide Esterci

 

Skip to content